Tudo o que você precisa saber sobre automação industrial

Desde a Revolução Industrial, após a segunda metade do século XVIII, o homem já buscava modos de automatizar sua produção artesanal e agrária, tornando-as industriais. No Brasil, o termo “Automação industrial”, cujo conceito é o trabalho automático de máquinas, começou a se popularizar nos anos 50, conhecidos como anos dourados. No cotidiano temos muitos exemplos de processos automáticos, como o despertador programado para um horário específico.


Os sistemas de automação são encontrados cada vez mais no campo industrial, colocados em prática por engenheiros e técnicos em automação industrial. Um exemplo desse uso, bem próximo à população, é o metrô, que conta com vagões contendo os próprios sistemas de automação.
No caso do metrô, a automação industrial o que faz? Os sistemas realizam as funções de abrir e fechar as portas, aumentar a velocidade à medida que o trem se afasta da estação, anunciar a próxima estação de parada, parar na estação, diminuir a velocidade conforme chega na estação, aguardar um determinado período para fechar as portas e repetir o ciclo ao longo de todo o trajeto percorrido.

Qual a importância da automação industrial?

Os processos de automação industrial são importantes para reduzir custos e aumentar a produtividade, medidas cada vez mais necessárias para atender às necessidades do mercado atual.

Apesar de a automação já ser usada desde a Revolução Industrial, foi apenas no século XX em que se deu a completa Automação de processos industriais, e, atualmente, a principal base é o computador. Dessa forma, é cabível admitir que a evolução da produção está diretamente relacionada ao desenvolvimento de novos computadores e softwares que integrem às redes industriais, em que as diversas funções de equipamentos distintos se comunicam para tornar a produção mais eficiente. O primeiro computador, idealizado por Alan Turing em 1936, tinha por objetivo decodificar mensagens inimigas, automatizando o trabalho mental de combinações possíveis para o código. Graças à máquina de Turing, os Aliados foram capazes de vencer o Eixo na Segunda Guerra Mundial.

O controle e automação de processos industriais diz respeito a uma das categorias abrangidas na Quarta Revolução Industrial, que visa integrar informações e tarefas através das novas tecnologias, como a nuvem de dados. As principais indústrias que fazem uso da automação são as petroquímicas, químicas e farmacêuticas, em que o sistema controla, automaticamente, variáveis como temperatura, vazão e pressão, aumentando a produtividade e a segurança do processo de fabricação do produto de interesse.

Quais os tipos de automação?

Há três tipos básicos de automação: fixa, programável e flexível. Na automação fixa, os equipamentos são programados para fabricar um tipo de produto e não podem ter seu programa modificado, ou seja, seriam necessários novos Projetos de automação industrial para a produção de outro material com algumas modificações. As características marcantes desse tipo de automação são altos investimentos iniciais em equipamentos específicos, alta taxa de produção e a rigidez do sistema como um todo, impossibilitando alterações no produto. Esse tipo de automação foi muito usado nas primeiras linhas de montagens em fábricas de automóveis dos Estados Unidos.

A automação programável consiste em equipamentos com programas que permitem alteração do produto, porém com interrupções na produção para a alteração desejada. Desse modo, ela é muito usada em produção em lotes, possui alto investimento em equipamento genérico e sua taxa de produção é mais baixa do que a da automação fixa. Após a produção de cada lote, o programa deve ser reajustado para eventuais correções, logo, o tempo necessário para a produção deve ser calculado contando o funcionamento do maquinário em si e o tempo de programação do equipamento.
A automação flexível, por sua vez, é uma evolução da automação programável. A flexível permite alteração do programa ao longo da produção, sem a necessidade de esperar um novo lote ser produzido, dessa forma, o tempo de produção total diminui e se pode fabricar itens diferentes ao mesmo tempo. As características desse tipo de automação são os altos investimentos no sistema global, taxa de produção mediana, flexibilidade para ajustar o produto e produção contínua de produtos diferenciados.

A escolha do melhor tipo de automação, de acordo com o produto alvo da empresa, é essencial para que a produtividade e a segurança sejam as maiores possíveis.

As ideias para projetos de automação industrial são cada vez mais inovadoras, e levam em conta, não apenas o controle operacional dos equipamentos das indústrias, mas também o projeto da construção do edifício em si, fazendo com que a automação esteja presente já no conceito da fábrica, garantindo as vantagens dessa tecnologia para a empresa.