Por que existem tantos tempos verbais na Língua Portuguesa?

Língua Portuguesa

 

Possuir uma comunicação assertiva é um desejo de quem pretende atingir outros objetivos pessoais e profissionais. Se você não entende bem o que o outro está falando, ou ele não te entende, não há boa comunicação e algo sai errado. Ser assertivo, por sua vez, não significa passar por cima das regras da língua, mas compreendê-las e usá-las a seu favor.

Um ponto que gera dúvidas nos estudantes do ensino básico, e que depois não se sedimenta na vida adulta, está no uso dos tempos verbais: sem eles, não é possível se comunicar bem, pois você não consegue posicionar sua narrativa ao longo do tempo e entre etapas. Quando vamos aprender outras línguas, descobrimos igualmente que aprender tempos e modos verbais define o sucesso ou fracasso na língua, quebrando quaisquer dúvidas sobre a importância disso.

Para você que quer se comunicar melhor, ou ainda para você que quer aprender mais sobre tempos verbais na Língua Portuguesa, seja para sua prova de aula ou concurso, acompanhe as dicas do post e entenda melhor o que significa cada tempo verbal.

Presente do indicativo

Esse tempo verbal se refere a ações concretas que estão acontecendo agora ou em um curto período antes ou após do que estamos vivendo, no dia em que estamos.

 

Marina é casada com Márcio.

 

Pretérito Perfeito do Indicativo

 

Esse tempo verbal se refere ao passado, ou seja, coisas que já aconteceram. Tanto o começo quanto o fim estão lá no passado.

 

Trabalhei como almoxarife naquela multinacional.

 

Pretérito Imperfeito do Indicativo

 

A imperfeição desse tempo passado está em começar lá, mas não necessariamente ter terminado, ou haver ideia de continuidade ao longo do tempo.

 

Mayara estudava todas as matérias para o vestibular.

Eu comia marmitas saudáveis.

 

Pretérito Mais-Que-Perfeito do Indicativo

 

Perfeito é pouco, é lindo. É um tempo verbal que se usa para indicar que uma ação seria anterior a outra também no passado.

 

Caetano fizera aulas de violão antes de ser aceito no grupo.

Até casar com Gisele, Fabrício tivera outras cinco noivas.

 

Futuro do Presente do Indicativo

 

Representa tudo aquilo que faremos ou pretendemos para períodos à frente, no futuro.

 

Como apostei na Mega da Virada, ficarei rico no ano que vem.

Terça-feira, protocolaremos a petição inicial no fórum.

 

Futuro do pretérito do indicativo

 

Ações que eram planos para o futuro, lá no passado, são um exemplo de aplicação desse tempo verbal. Possibilidades não concretizadas também entram.

 

O time não estaria na série B se houvesse ganhado mais uma partida.

Eu compraria aquele terno!

 

Tempos do modo subjuntivo

 

São tempos verbais que se formam pelo acréscimo de partículas como “que”, “se”, “quando” e expressões de incerteza ou possibilidades. Essa incerteza é mais forte do que em alguns tempos do indicativo.

 

Tomara que chova amanhã. [Presente do subjuntivo]

Eu casaria se ela quisesse também. [Pretérito imperfeito do subjuntivo]

Quando eu viajar para a Alemanha, será muito legal! [Futuro do subjuntivo]

 

Por fim,

 

Vimos alguns exemplos dos tempos verbais. Também entendemos que existem tantos tempos verbais como as situações diferentes de tempo, espaço e certeza que podemos ter que expressar. Com tantas variações, entender qual usar e construir nossos textos considerando essas variações é importante para transmitirmos corretamente nossos pensamentos pela fala e escrevermos bem.

 

SOBRE A AUTORIA: Esse texto é um oferecimento d’O Blog do Mestre, gentilmente publicado pelo Business Connection. O Blog do Mestre é um blog que envolve entretenimento, curiosidades, atualidades e muito conhecimento!