Como as empresas estão enfrentando a crise com o marketing digital

Todo e qualquer empresário, profissional, ou mesmo funcionário, tende a estar envolvido e sofrer as consequências de quaisquer alterações e mudanças graves na economia, visando que qualquer ato pode prejudicar a massa toda da sociedade. 

Mas, nem sempre são crises previstas, ou mesmo que inseridas no planejamento semanal, mensal, ou anual, tornando-se então, uma grande tragédia para quem depende da mesma. 

No ano de 2020, uma das piores e mais inesperadas crises da saúde, e consequentemente, economia, veio a atingir seu ápice. 

O vírus, denominado COVID-19, surgiu na realidade no ano anterior, em 31/12/19, com alguns casos registrados na China. 

A doença, “Coronavírus”, causa infecções respiratórias, sintomas de: tosse, febre, coriza, dor de garganta, dificuldade de respiração, todos em uma alta intensidade, além de outros menos comuns. 

3 estratégias de marketing digital em uma crise 

Para recuperar o tempo perdido, principalmente para comerciantes e empreendedores que sofreram o início da crise, é necessário, se possível, investir em estratégias de marketing que envolvam resultados a curto prazo, mesmo que seja necessária uma grande adaptação. 

É importante que a empresa entre em contato direto com os consumidores, por isso, aqui vai alguns exemplos de marketing direto e rápido: 

1. Publicidade nas Redes Sociais

Como uma das mais eficazes e populares estratégias de marketing na atualidade, as redes sociais recebem milhões de acessos diariamente e já são consideradas referência para a compra de produtos. 

O Instagram e Facebook possuem perfis destinados para empresas e comércio, além de disponibilizar investimento em estratégias direcionadas ao seu nicho e promovendo sua marca, além do próprio contato direto com o público. Conheça o guia completo de como colocar mensagem automática no whatsapp.

2. SEO

O termo “SEO” (Search Engine Optimization) é uma estratégia de marketing que visa garantir uma posição e destaque para sua empresa, em sites de procura e resultados (com foco no maior deles, o Google), tornando mais fácil de possuir visibilidade para os consumidores e gerando mais popularidade em acessos, e consequentemente vendas. 

3. Links Patrocinados

Assim como o SEO, os links patrocinados garantem uma posição e visibilidade para a marca, nos mais variados sites (sempre os mais relevantes e relacionados com a busca, produto, serviço). Garantindo maiores vendas e acessos, como uma propaganda paga; 

Crise econômica gerada pela crise na saúde 

Grandes empresas e empresários tendem a estar mais estáveis, e garantir seu espaço no mercado, mesmo em um momento de crise tão agravante, principalmente marcas alimentícias, remédios, itens de higiene, móveis de extrema necessidade, entre outros, mas, pequenos comércios, e empresas de nichos específicos, tendem a ser os alvos dessa crise. 

Segundo pesquisas realizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o comércio brasileiro, setor que inclui inúmeros concorrentes, dependente de produção, funcionários, entrega de material, e principalmente, fluxo de consumidores, sofreu a maior queda em 20 anos, afetando principalmente pequenos e locais comércios, que dependem de vendas diárias. 

Documentado em pesquisas, as vendas relacionadas a varejos e lojas, caíram 16,8% em relação a março de 2020 (mês em que a pandemia se iniciava com poucos casos), já Abril, foi o primeiro mês inteiro em que as lojas ficaram fechadas durante a pandemia, chegando a uma perda de 18,6%, sendo 85 dias de faturamento zero. 

Dentre os setores mais prejudicados, o IBGE os dividiu em oito, e segundo a pesquisa, os mais afetados são os relacionados à: tecidos, vestuário e calçados, livros e papelaria e por artigos de uso pessoal e doméstico. 

Com isso, envolve grande massa dos comércios locais. 

Gerando crise de vendas, crise de desemprego, e uma mudança drástica, incluindo até necessidade de investimentos, para então adaptar-se aos novos métodos de vendas, procurando uma maneira de atingir novamente os consumidores. 

Um dos principais métodos, já utilizados antes, e agora tornando-se de extrema necessidade para se manter no mercado, é utilizar o ambiente digital e virtual, ou seja, investir em E-commerce e em agências de Marketing Digital. 

Levando em consideração, o maior método de prevenção e transmissão do Coronavírus, o isolamento social (ou seja, manter-se em casa, saindo apenas em casos de extrema necessidade). 

E-commerce e Marketing Digital 

E-commerce é um termo utilizado há alguns anos após a ascensão da internet, vindo da denominação “comércio eletrônico”, ou seja, realizar transações comerciais através de aparelhos eletrônicos, como por exemplo, smartphones, tablets, IPads, computadores, notebooks, entre outros, utilizando apenas da entrega como contato físico entre o fornecedor e consumidor. 

O E-commerce já é utilizado muito antes da instalação da pandemia no mundo, é um método de compra muito simples, prático, rápido e acessível, realizado em qualquer horário, disponível em qualquer circunstância para análise e compra, e principalmente, no conforto da casa. 

Para o fornecedor, os benefícios incluem a economia em gastos semanais e mensais com o ambiente físico, sendo eles: sem gastos com inúmeras contas e aluguéis, sem gastos com funcionários, sem preocupações com a ausência de segurança das ruas, horário comercial livre, e investimento apenas na plataforma e na publicidade. 

A realização desse comércio online pode ser realizado desde a maneira mais simples para o fornecedor (redes sociais como: Whatsapp, ou Instagram e Facebook que possuem perfis destinados a empresas e profissionais), até incluir-se em plataformas de vendas, como: um site próprio, contrato com grandes empresas fornecedoras como as Lojas Americanas e o Mercado Livre, até o mais atual e popular, aplicativos de compra. 

Para a maioria, é necessário um investimento (visando que a concorrência esteja presente em qualquer ambiente), um planejamento de promoções, e publicidade, sempre utilizando a internet a seu favor. 

Com a devida preparação, é possível com o tempo se estabilizar e garantir seu espaço no comércio. 

Mas, para que a estabilidade e mesmo que o ápice de vendas aconteça, é necessário mais do que apenas estar presente em uma plataforma de vendas, é de extrema necessidade, gerar o marketing. 

O marketing também deve ser realizado em ambiente digital, o que torna mais fácil e econômico, além de gerar mais resultados a curto prazo. 

O Marketing Digital é denominado como a promoção, publicidade e contato com os consumidores de maneira direta, 100% em ambiente digital, feita de maneira personalizada, através de estratégias definidas para cada nicho e público alvo. 

Dentre as vantagens do marketing digital, incluem: 

  1. Maior interatividade com os consumidores (visto que um dos principais canais de marketing, são as redes sociais e sites, no qual é possível adicionar métricas de resultados e possuir uma conversa direta com os clientes); 
  2. Métricas que são disponibilizadas em quantidade de acessos, curtidas, vendas sobre determinados produtos, comentários, críticas construtivas, crescimento em um determinado tempo, produtos e estratégias que funcionam (ou não) entre outros; 
  3. Direcionamento realizado para o seu público alvo, que no qual garante as vendas do mês, e ainda garantem tempo e economia para investimento a fim de abranger novos públicos, além de conhecer mais seu público.

Por fim…

É  necessário investir em conteúdo de qualidade, design atrativo e projetado para o seu nicho, e principalmente se localizar em uma plataforma de qualidade, fatores que geram confiança para o consumidor.

Com essas dicas, investimento certo, e principalmente planejamento e conhecimento, é possível se estabilizar e garantir sua posição no mercado, mesmo que em uma pandemia. 

Além de tornar mais um ambiente de vendas para as empresas e comércios.